A cronologia de um festival em tempos possíveis e impossíveis

Por Batman Zavareze

16 de janeiro de 2020

A cultura e as artes do Brasil são atacadas, perseguidas pelo novo Governo Federal do Brasil. Em discurso, o secretário nacional da Cultura, Roberto Alvim, repete expressões do ministro nazista Joseph Goebbels.

BLOG_01

06 de março de 2020

Sentado num bar do Largo do Machado, tradicional bairro da antiga capital do Rio de Janeiro, onde se encontra o Centro Cultural Oi Futuro, com alguns dos seus diretores, traçamos metas para o Festival Multiplicidade diante da pandemia que estava chegando. A conversa é regada por incertezas, esperanças, sonhos e crenças na ciência.

09 de março de 2020

Lockdown na cidade do Rio de Janeiro. A COVID-19 chega ao Brasil. O governo federal nega a pandemia, a ciência, a educação, o meio ambiente e a constatação de que a Terra é redonda.

13 de março de 2020

Acordo com febre, dor no corpo e uma tremenda paranoia de que peguei a COVID-19.
Fico isolado dentro de casa, isolado dentro do isolamento de meus familiares. Em março não existiam testes disponíveis na rede de saúde, pública ou privada.

01 de abril de 2020

Saio da quarentena do meu quarto escuro e descubro que as lives invadiram de forma avassaladora a rotina de nossas casas. A cidade e a economia param. O meio ambiente finalmente respira com menos poluição no ar.

BLOG_02

 

21 de julho de 2020

Lançamos no Instagram nosso filtro de Realidade Aumentada – O QUE EU QUERO AINDA NÃO TEM NOME  -, criado pelo artista Clelio de Paula.

Screen Shot 2020-12-25 at 9.17.42 AM (2)

 

21 de outubro de 2020

Fazemos o pré-lançamento do Festival Multiplicidade. Realizamos a vernissage digital de nosso novo livro-experiência, “O QUE EU QUERO AINDA NÃO TEM NOME”, com tiragem limitada.
Também promovemos, nesse dia, um papo ao vivo com Filipe Cartaxo e Russo Passapusso, do BaianaSystem, sobre passado, presente e futuros, os possíveis e os impossíveis.

Imagem1

IMG_9281

21 de dezembro de 2020

Lançamento do filme-manifesto do Festival Multiplicidade: LIBERDADE É POUCO.
Anunciamos: VAI ROLAR O FESTIVAL!

Vamos fazer.

O Festival Multiplicidade 20_21⠀é um manifesto artístico e criativo. Um ensaio coletivo sobre a liberdade. Uma rede de conexões e novas narrativas poéticas. Um ato contínuo que culmina numa celebração-manifesto no dia 21/01.

Liberdade é pouco.

Quais futuros-presentes possíveis e impossíveis podemos criar?⠀

Queremos saber dos desejos, dos quereres.

Vamos fazer desses desejos a nossa grande rede de afeto e expressão.⠀⠀

Resistir para existir.

O QUE EU QUERO AINDA NÃO TEM NOME.

Vamos?

Imagem6

 

 

Publicado em Sem categoria por blogmultiplicidade. Marque Link Permanente.

Sobre blogmultiplicidade

O Multiplicidade_Imagem_Som_inusitados é um festival de performances audiovisuais que acontece desde 2005 no Rio de Janeiro e que mostra ao público um amplo repertório de atrações no Oi Futuro Flamengo e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O seu principal conceito é unir em um mesmo palco arte visual e sonoridade experimental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>