PAINEL _ Festivais Internacionais de Vanguarda

vanguarda

Dentro da ocupação da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, o Festival Multiplicidade abre um espaço para discussão sobre Festivais Internacionais de Vanguarda.

Artistas e gestores da cultura estarão juntos para refletir sobre a importância e o intercâmbio de plataformas de artes de vanguarda, desde a sua estrutura, a concepção, a curadoria, a captação e até a sua gerência.

A ideia é estimular o intercâmbio entre o Brasil e países que estão promovendo festivais de artes avançadas de excelência e que estão fora do eixo tradicional de nossas pesquisas.

Palestrantes:

Sonica FestivalCathie Boyd (Glasgow/ Escócia)

Sonorities Festival / SARC – Pedro Rebelo (Belfast/ Irlanda do Norte)

Mediação: Luis Marcelo Mendes (Fundação Roberto Marinho)

Colaboração e reflexão: Batman Zavareze (Festival Multiplicidade), Grupo dos Festivais Internacionais do Rio de Janeiro e Marcos Guzman (Green Sunset /SP)

===========================================

PAINEL_Festivais Internacionais de Vanguarda

Participação de Cathie Boyd, Pedro Rebelo
Mediação: Luiz Marcelo Mendes
Colaboração e reflexão: Batman Zavareze, Grupo dos Festivais Internacionais do Rio de Janeiro e Marcos Guzman

Sábado, dia 7 de Dezembro
Horário: 10h00 às 22h00

Local: Auditório

Lotação: 100 pessoas inscritas previamente pelo email info@multiplicidade.com
Estarão disponíveis equipamentos de tradução simultânea.

INSTALAÇÃO _ Chamada ao Trabalho / Belfast

sonscidade

Os ruídos acumulados em uma memória sonora podem até ser evocados na lembrança, mas raramente ficam armazenados com a mesma precisão de uma paisagem ou de uma cena.

Talvez por isso os cinco habitantes de Belfast (Irlanda do Norte) tenham ficado igualmente surpresos e encantados ao serem procurados por um grupo de artistas interessados em suas memórias sonoras.

Professor do SARC (Sonic Arts Research Center), em Belfast, o português Pedro Rebelo juntou seus alunos de doutorado para colher as memórias dos habitantes e organizá-las em um projeto poético sobre a relação entre as paisagens urbanas e seus contornos sonoros. Depois de entrevistas e muita pesquisa de campo, Matilde Meireles, Rui Chaves, Aonghus McEvoy e Rebelo criaram as quatro instalações dentro do projeto Os Sons da Cidade, que será aberta no Parque Lage.

O então grupo realizou um mapeamento sonoro da cidade, compilando ruídos, música e depoimentos em uma instalação. Essa obra, que utiliza diversos tipos de saída de som (como caixas eletroacústicas e megafones), estará instalada na Rua 1 do Parque Lage e aberta a visitação sábado e domingo, dias 7 e 8.

===========================================

Chamada ao Trabalho / Belfast
Com Pedro Rebelo, Matilde Meireles, Rui Chaves e Aonghus McEvoy IRL/PORT

Sábado e Domingo, dias 7 e 8 de Dezembro
Horário: 10h00 às 22h00
Local: Rua 1

Lotação: circulação normal do Parque Lage

Pedro Rebelo sobre o espetáculo “Tributo a John Cage”

Pedimos para Pedro Rebelo, diretor do SARC e um dos nossos artistas de amanhã, falar um pouquinho mais sobre essa inusitada performance de amanhã.

A apresentação será parte da programação do Festival Multiplicidade 2012 no Oi Futuro Flamengo (22/11 às 20h) e vamos ter 2 pianos preparados seguindo as bulas de Cage.
Claro que existem algumas interpretações pessoais do manual de preparação de Cage, mas a três meses estão sendo realizados ensaios e debates com os 7 músicos envolvidos entre o Rio e Belfast.

No palco teremos estes 7 músicos virtuosos tocando individualmente e juntos, parte do Brasil (PianOrquestra) e parte do Pedro Rebelo, diretor do SARC, um Media Lab sonoro ligado a Queen’s University de Belfast incrivel que foi criado com a supervisão de Karlheinz Stokenhausen.

O repertório será baseado em Cage e seus discípulos: Arvo Part, Ligeti, Paert mas terão tambem releituras autorais inspirados nos preceitos dele.

No campo visual, tambem seguindo a inspirações das autorais partituras de Cage teremos o americano tambem ligado ao SARC, Justin Yang  se inspirando e recriando com novas tecnologias uma versão contemporânea de grafias musicais que servirão aos músicos ao longo do concerto. Um trabalho de webwork com animações geradas ao vivo.

O repertório do show (que ainda pode ter alguma pequena adaptação):

PianOrquestra – Perk - 4’31″ (Mako, Claudio, Marina, Priscilla, Anne)
PianOrquestra Medley (Mako, Claudio, Marina, Priscilla, Anne)
Pedro Rebello – Netgraph – 10′ (Mako, Claudio, Antonio, Priscilla, Anne, Tatiana)
Justin Yang – Webworks - 10′ (Mako, Claudio, Antonio, Priscilla, Anne, Tatiana)
John Cage - Sonata I – 3′ 04″ (Antonio)
John Cage - Sonata V – 1’49” (Marina)
John Cage - Sonatas XIV e XV – 3’21” (Claudio)
Arvo Pärt – Für Alina - 1’29” (Claudio)
György Ligeti - Musica Riccercata – 3’50” (Marina)
Earle Brown - December 1952 – 2 (Antonio)
Peça colaborativa entre Pedro, Justin, pianOrquestra (Mako, Antonio, Priscilla, Anne, Tatiana e Claudio Dauelsberg)

PianOrquestra & Pedro Rebelo + Justin Yang – Tributo a John Cage

O Festival Multiplicidade apresenta amanhã um tributo ao centenário do nascimento do compositor americano John Cage, com os cariocas do PianOrquestra, ao lado de Pedro Rebello e Justin Yang, membros do SARC (Sonic Arts Research Centre), centro de pesquisas fundado sob a direção de Karlheinz Stockhausen, localizado em Belfast (Irlanda do Norte). Esse resgate da obra de Cage no concerto-homenagem pretende apresentar a bula de experimentações da música eletroacústica.

O programa destacará o chamado piano preparado e as diferentes abordagens de música indeterminada, que são elementos musicais decididos na hora da execução – duas contribuições da mente de vanguarda de Cage. Na hora, obras serão integradas num programa de criação de uma peça colaborativa exclusiva para o concerto. Serão sete músicos tocando dois pianos simultaneamente no palco do Multiplicidade.

Além de reverenciar as inovações de John Cage através de suas obras, o repertório – decidido ao longo dos últimos meses em uma troca constante entre Rio e Belfast – também traz peças de discípulos do compositor, como Arvo Part e Gyorgy Ligeti. No espetáculo, enquanto as obras são apresentadas, o americano Justin Yang cuidará do design visual gerando em tempo real grafias musicais inspiradas em partituras de Cage.

Quem fechará a noite será o DJ dinamarquês Tom Barfod*, integrante da banda WhoMadeWho, que traz músicas de seu novo trabalho solo Salton Sea.

* “A apresentação do Tomas Barfod conta com o apoio do Instituto Cultural da Dinamarca, instituição sem fins lucrativos ligada ao Ministério de Cultura da Dinamarca. Esta apresentação também celebra o lançamento da programação de música eletrônica da plataforma Dinâmica Dinamarquesa, que apresentará músicos dinamarqueses para o público brasileiro nos próximos anos, criando assim novas colaborações entre os artistas de ambos os países” diz Batman, curador do festival.

SERVIÇO

Multi_04_2012 > PianOrquestra & Pedro Rebelo + Justin Yang (SARC)

Nível 7 – 20h: Apresentação no teatro

Nível 1 – 21h: DJ set com Tomas Baford

Dia 22 de novembro (quinta-feira)

Local: Oi Futuro do Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 (Rio de Janeiro)

Horário: às 20h no teatro: PianOrquestra + Pedro Rebelo + Justin Yang

Entrada: R$ 20,00 (com meia-entrada)

Capacidade do teatro: 84 lugares a cada sessão

Censura: Livre

info@multiplicidade.com

Curadoria: Batman Zavareze